terça-feira, 31 de março de 2015

A vida contempla a luta.

Momentos de agradecimento e apreciar que lutar na vida tem retorno.
Jantar, temperatura de convite em ir para o jardim e jogar à bola com a mais nova que é filha única esta semana.

Saber que sair da escola aos 18 anos, ir trabalhar, estudar em pós-laboral e ter a sorte de valorizar que ser íntegro, honesto, confrontacional tem ajudado neste percurso de vida. Faz parar no jardim e olhar à minha volta a pensar:
 " dass sou um guerreiro do caralho ! "

segunda-feira, 30 de março de 2015

Chichi ao ar livre

As tardes estão maiores.
Agora, é dar duro na jardinagem para relaxar o corpo depois de um dia na luta.

Imprevisto do dia: herdeira mais nova acompanha o pai no jardim, ouve uma mota daquelas com escape livre e faz chichi na roupa - Inconvenientes de andar a largar fralda. :))
Lá foi embora o momento relax.


domingo, 29 de março de 2015

Curioso com o tempo.

É uma das minhas app mais visitadas. A previsão do tempo para o dia seguinte.
Serve para escolher a roupa com antecedência. "És pior que as mulheres"
Sim, tenho vaidade, mas também gosto de sentir que estou confortável e vestido com roupa compatível com temperaturas, chuva ou vento.

Ainda sou do tempo em que havia na casa de meus avós um galo que mudava de cor mediante a previsão do tempo (Rosa e Azul). Aquela merda do galo era engraçada - mudar de cor para dar previsão do tempo?!?
Os tempos mudaram, se as minhas avós fossem vivas, não acreditavam que eu sabia o tempo do dia seguinte no telefone. Elas apenas conheciam um telefone preto com marcador rotativo dos algarismos e com aquele toque em que até os vizinhos sabiam que alguém tinha ligado.

Porra o tempo passa mesmo rápido...






sábado, 28 de março de 2015

quinta-feira, 26 de março de 2015

Trocas & Substituições

O tempo passa. As coisas mudam e as pessoas que conhecemos variam, umas saem por completo ou parcialmente e outras novas entram. Não existe uma substituição directa, apenas algo que podemos considerar um acréscimo na nossa experiência de vida. Partilha de palavras, de conhecimentos e até por vezes com interesses comuns ou opostos, mas ainda assim, uma partilha do convívio.

Ser social, não é sinónimo de querer estar rodeado a conversar, basta alguém com quem partilhar palavras. Alguém que esteja em qualquer lugar no mundo com um telefone ligado.

Expurgar umas, aliciar outras a fazer parte da nossa vida. 
E tudo isto acontece no autocarro, no metro, no comboio, no local de trabalho, num café com o amigo de um amigo, num blog na internet, numa troca de olhar na discoteca, na loja do cidadão, numa repartição de finanças, e até no tribunal ou numa prisão. Assim os dias passam uns atrás dos outros e consequentemente os anos.

Viver é engraçado.

terça-feira, 24 de março de 2015

Engraçadas aprendizagens

Eu fazia lá ideia que os periquitos sabem muito ?!?
Será que ele/a quer liberdade, está a ser maltratado em nossa casa ou simplesmente quer companhia para a vida.
Aquele/a lá de casa, agora anda maluco por sair da gaiola, tenta abrir gaiola nas 3 entradas (2 para recipientes da comida e o "portão" principal para tudo  o resto. Ambas tiveram de ser reforçadas e fechadas com arame, porque ele/a anda maluco e com o bico já levantava aquilo tudo.
Com a revolta, vira o recipiente da alpista, da água e parece que está possuído pelo demónio para sair da gaiola.
Começa a cantar para o vizinho/a da rua logo pela manhã no parapeito da janela da cozinha e ficam os dois a comunicar. Um na gaiola fechado e em casa - o outro na rua em liberdade.

Existem coisas engraçadas de apreciar ao pequeno almoço. Não fazia ideia que até os periquitos "sabem muita coisa".

Ou seja, logo à noite vai haver reunião de família em que a ordem de trabalho é decidir dar liberdade ao animal à qual ele tanto apela, ou manter ele como nossa companhia e único animal de estimação.


Simples dúvidas, mas estranhas na tomada de uma aparente simples decisão.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Bússola de amizade.

Existem pessoas que a experiência de vida nos ajudam bastante a ver para além dos olhos abertos.
Palavras de pessoas maduras que de uma forma segura, nos soltam palavras e conselhos, de quem já viveu mais que nós, que tem o horizonte mais alargado e sobretudo tem experiência própria no assunto.
O tom de voz seguro de quem sabe o que está a dizer olhos nos olhos.
Aconteceu ontem, uma senhora com idade para ser minha mãe, que acompanhou a minha mulher a nascer e a crescer. Fez questão de ser ela a fazer o parto das nossas duas filhas. (um dos quais em dia de folga...)
Ventilei com ela 5m a sós, numa visita que fez a nossa casa com as suas duas filhas e nossas amigas. Aquelas palavras sem afloramentos - ajudam muito na arrumação das gavetas.
Uma mulher por quem eu não me importava de ser adoptado como filho - tem aquele colo que tanta falta faz em alguns momentos.


Bela tarde.

sábado, 21 de março de 2015

Adoramos !

As pequenas estão viciadas nos vídeos da Sónia Araújo. 
Eu, que ando numa fase de rédea curta e a reconquistar a patroa cá de casa - estou em fase de mudança. Não me importo. 
Ela é linda pahhh chuchu ! Até faz doer os olhos...




quarta-feira, 18 de março de 2015

Texto matinal.

"Tudo o que posso dizer é que estou louco por ti. Tentei escrever uma carta e não consegui. Estou constantemente a escrever-te... Na minha cabeça, e os dias passam, e eu imagino o que pensarás. Espero impacientemente por te ver. Falta tanto para terça-feira! E não só terça-feira... Imagino quando poderás ficar uma noite... Quando te poderei ter durante mais tempo... Atormenta-me ver-te só por algumas horas e, depois, ter de abdicar de ti. Quando te vejo, tudo o que queria dizer desaparece... O tempo é tão precioso e as palavras supérfluas... Mas fazes-me tão feliz... porque eu consigo falar contigo. Adoro o teu brilhantismo, as tuas preparações para o voo, as tuas pernas como um torno, o calor no meio das tuas pernas. Sim, Anais, quero desmascarar-te. Sou demasiado galante contigo. Quero olhar para ti longa e ardentemente, pegar no teu vestido, acariciar-te, examinar-te. Sabes que tenho olhado escassamente para ti? Ainda há demasiado sagrado agarrado a ti.

A tua carta... Ah, estas moscas! Fazes-me sorrir. E fazes-me adorar-te também. É verdade, não te dou o devido valor. É verdade. Mas eu nunca disse que não me dás o devido valor. Acho que deve haver um erro no teu inglês. Isso seria demasiado egoísta para eu dizer.
Anais, não sei como expressar-te o que sinto. Vivo numa expectação constante. Tu chegas e o tempo escoa-se como num sonho. É só quando partes que eu entendo completamente a tua presença. E, então, é tarde de mais. Atordoas-me.

Tento imaginar a tua vida em Louveciennes, mas não consigo. Walter Pach? Um sonho bêbedo... E além disso, não gosto dele; o porquê não sei dizer. O teu livro? Também parece irreal. Só quando chegas e olho para ti é que o quadro fica mais claro. Mas partes tão rapidamente... Não sei o que pensar. Sim, vejo claramente a lenda de Pushkin. Vejo-te na minha mente sentada nesse trono, com jóias à volta do pescoço, sandálias, grandes anéis, unhas pintadas, estranha voz espanhola, a viver uma espécie de mentira que não é exactamente uma mentira mas um conto de fadas.

Vesti esta noite as minhas calças de bombazina e reparei que estavam manchadas. Mas juro pela minha vida que não consigo associar a mancha à princesa em Louveciennes que priva com guitarristas, poetas, tenores e críticos. Não me esforcei muito para tirar a mancha. Vi-te entrar na lavandaria e encostar a tua cabeça no meu ombro. Não consigo ver-te a escrever «An Unprofessional Study».

Isto está um bocadinho bêbedo, Anais. Estou a dizer para mim «aqui está a primeira mulher com quem posso ser absolutamente sincero». Lembro-me de dizeres: «Tu podias enganar-me. Eu não o saberia». Quando passeio pelos «boulevards» e penso nisso... Não posso enganar-te... E no entanto gostaria de fazê-lo. Quero dizer que nunca posso ser absolutamente leal... Não está em mim. Adoro mulheres, ou a vida, demasiado... Não sei de que gosto mais. Mas ri, Anais, adoro ouvir-te rir. És a única mulher que tem tido um sentido de alegria, uma sábia tolerância... Já não mais pareces querer fazer com que eu te traia. Amo-te por isso. E por que fazes isso? Amor? Oh, é maravilhoso amar e ser livre ao mesmo tempo.

Não sei o que esperar de ti, mas é algo parecido com um milagre. Vou exigir tudo de ti... Mesmo o impossível, porque tu o encorajas. És realmente forte. Até gosto da tua falsidade, da tua traição. Parece-me aristocrática. (Será que "aristocrática" soa mal na minha boca?)

Sim, Anais, estava a pensar em como posso trair-te, mas não consigo. Quero-te. Quero despir-te, vulgarizar-te um pouco... Ah, não sei o que digo. Estou um bocado bêbedo porque tu não estás aqui. Gostaria de bater palmas e... «voilà»: Anais! Quero ter-te, usar-te. Quero fazer amor contigo, ensinar-te coisas. Não, não te dou o devido valor... Deus queira que não! Talvez até queira humilhar-te um pouco... Porquê, porquê? Por que é que não me ajoelho e te adoro? Não consigo. Amo-te risonhamente.

Gostas disso?
Querida Anais, sou tantas coisas. Tu só vês as coisas boas agora... Ou, pelo menos, levaste-me a pensar isso. Quero-te pelo menos durante um dia inteiro. Quero ir a sítios contigo... Possuir-te. Não sabes o quão insaciável sou. Ou o quão tortuoso. Ou o quão egoísta!

Tenho-me portado bem contigo. Mas aviso-te de que não sou um anjo. Penso principalmente que estou um pouco bêbedo. Amo-te. Vou para a cama agora... É demasiado doloroso permanecer acordado. Amo-te. Sou insaciável. Vou pedir-te para fazeres o impossível. O quê, não sei. Provavelmente dir-me-ás. És mais rápida do que eu. Adoro a tua ***, Anais... Põe-me louco. E o modo como dizes o meu nome! Deus, é irreal. Ouve, estou muito bêbedo. Dói-me estar aqui sozinho. Preciso de ti. Posso dizer-te qualquer coisa? Posso, não posso?
Vem depressa então, e faz amor comigo. Explode comigo. Enrola as tuas pernas à minha volta. Aquece-me."

Henry Miller, in "Carta de Henry Miller a Anais Nin, 1932" 

terça-feira, 17 de março de 2015

Sol & Nublado

O sol ainda está com muitas nuvens escuras.
Sou eu que tenho a responsabilidade de as afastar.

segunda-feira, 16 de março de 2015

A mudança começou.

Ontem, quando chegou a casa, vinha com vontade de tréguas.
Recusei.

Ela pegou no carro, sem dizer nada e saiu de casa. As miúdas ficaram comigo e fomos passear à barragem, ao parque, enfim, fui compensar o tempo que não tive oportunidade de estar com elas o fds.

Ela voltou a casa. Nenhuma troca de palavras.

Foi novamente para a cama depois de adormecer a mais nova, eu desci depois de adormecer a mais velha.
Subi, e perguntei o que ficava resolvido no tempo que ela pediu há quase 2 semanas.

- tentei dar-te um abraço, sai de casa e percebi que afinal estamos mesmo na meta.
Despejou coisas sobre mim durante 20m, em que não consegui responder por falta de argumentação.
Entre as quais: ter faltado festa de "finalistas" do infantário da mais velha; ter saído de casa com uma telha quando ela estava grávida de 8 meses da mais nova, das coisas desproporcionais partilhadas nas funções de casa de um e de outro, de como eu mudei nos últimos tempos, que já não era a mesma pessoa que conheceu há 15 anos e ficou encantada por tudo o que tinha sido. Que eu não era a pessoa que ela se apaixonou, etc, etc...e que das hipóteses que tinha questionado à tarde, perante a recusa do abraço que me tentou dar 
« Sim chegámos à meta, aos poucos vamos fazendo as mudanças, tentado que as crianças fiquem bem.»
Questionei se estava convicta do que estava a dizer.
Confirmou que sim, e que não havia retorno das palavras.
Que a minha infância não podia justificar todos os meu actos, que sempre me deu apoio mental para ultrapassar tudo. E quando falei no "Nós" no "tu" e no "eu" ela questionou onde está o espaço do meu "eu" quando vais sozinho para a tua terra todos os fds que queres e bem te apetece.



Percebi naquele momento que estive a falhar com a mulher que sentia amar, que estava perante uma mulher espectacular e que estava a desperdiçar a mulher da minha vida. Que vazios que tenho preencher na rua, são coisas de momento, que acabam por corroer-me a mim próprio.
Consciente e percebendo que ela estava mesmo a falar a sério, comecei a chorar, perante a consciência de ter sido eu mesmo o culpado por estar a destruir esta família e que estava a desperdiçar uma vida que a maior parte das pessoas gostariam de ter. Estava a perder a família que escolhi, que construímos juntos.

Chorei que nem uma criança, dei-lhe um abraço e pedi para não me deixar olhos nos olhos.
Disse que a minha mudança não podia ser apenas negativa. O diamante que ela diz ter encontrado ainda ali estava a seu lado e tinha intenções de lutar para reconquistar-lhe.
 Ela disse que não bastam as palavras, tenho de converter em actos e deixar de ter a postura do quero, posso e faço - Concordei e disse que ela tinha razão.
Que sempre me conheceu cuidadoso com a imagem, mas que nos últimos tempos, estava apenas centrado no exterior e que o meu interior estava a ficar podre.

No entanto eu tinha a certeza que o sentimento que ela tinha por mim, não tinha com toda a certeza desaparecido perante a questão de estarmos na meta ou numa etapa.
Percebi que tenho de regar.

E aquilo que ela via em mim era apenas a ponta do icebergue - felizmente tinha a sorte de ela não conhecer tudo o resto, o lado mais oculto e grave - seria mesmo o fim de tudo.



Uma conversa de 2 horas em que senti o chão pela primeira vez a sair.
Estava com a noção de ser o culpado daquele momento.

"vou mudar, dou-te a minha palavra pelo amor que tenho às minhas filhas e a ti"

Sinto que uma história bonita de amor como a nossa - não pode cair em 2 semanas.

Amo-te !! Tenho a certeza.

domingo, 15 de março de 2015

Talvez na meta.

A privação que fizeste este fim‑de‑semana foi bem penalizadora.
Algo já mudou na nossa relação, não sei se estamos na meta, ou no final de uma etapa. As mulheres têm uma inteligência superior, tu és um grande exemplo, tens esse forte e que me convenceu a mudar a vida. Não estou arrependido de nada, nem mesmo a falta de contacto presencial com aqueles amigos/irmãos que deixei de ter diariamente e onde arranquei as raízes para replantá-las aqui.
Tu sozinha tinhas o encanto de substituir tudooooooo, prescindi sem arrependimentos para fazer vida contigo.
Além de amor, uma sumidade de amizade entre nós.
Ganhei o melhor que tenho na vida hoje.
As miúdas fizeram com que eu veja a vida na perspectiva positiva, tal como tu fizeste quando te conheci. Ensinando ter a capacidade de apreciar o sol.
Não sei se estamos na meta ou no final de uma etapa.
No entanto, reconheço que ao teu lado passei alguns dos melhores dias da minha vida.
Hoje, quando regressares ao nosso lar com as miúdas, é impreterível conversar e fazer uma avaliação ao que se passa entre nós.
Com toda a certeza, vamos saber escolher o melhor para as nossas filhas, elas vão eternamente ser mais um dos elos de ligação das nossas vidas.
Se não estivermos na meta, vais ser sempre a mãe das minhas filhas.
Volto a reiterar que és o sonho para um homem ter ao lado, e a mulher que qualquer pessoa deseja ter como amiga. Tens singularidades muito especiais.
Não mereço a tua confiança, tenho noção de que devia mudar, não faço por isso e não encontro o botão correcto.

Tudo está estranho.

Má companhia.

Comunicado interno: 
Para a próxima não aceito convite para o jantar de aniversário. Haver tanta gente daquele clube naquelas bandas faz mal à digestão. :))))

sábado, 14 de março de 2015

Opções

Com o tempo, percebo que gosto excessivamente de mim, de estar sozinho, controlar o espaço que me rodeia.
Tento incutir que consigo estar só entre os devaneios de alter ego.
Tudo tem a sua efeméride, quando acabar, vem a eloquência de saber que vou acabar numa solidão proporcionada apenas pelo eu. 
Promover a singularidade de revolta com o passado, não tem de ser o eterno abrigo, onde fico escondido e grito que gosto de viver a vida.
Tudo acaba. 
Estou a sair do caminho certo - vou acabar por encontrar aquilo que inconscientemente ou mesmo consciente procuro. 
A minha ilha.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Vagas ideias

Já passou  uma semana ao pedido de dar espaço.
- Espaço concedido.

Hoje, se não existir evolução do espaço concedido, talvez, seja eu agora a pedir uma licença de espaço para mim.

O futuro ? Logo se vê.

terça-feira, 10 de março de 2015

Ligação Nós-Meo

- já me disseram que vieste este fim‑de‑semana ver o jogo e nem disseste nada.
- quem te contou ?
- alguém que te viu no estádio e disse que estavas bem acompanhado
- por acaso fui ver o jogo bem acompanhado, o resultado do jogo é que não foi o melhor
- e não tens medo de ser apanhado?
- andei pela cidade toda, fiz mal a alguém ou roubei algo ?
- és mesmo maluco
- e cada vez ando pior, deve ser da idade, estou numa fase que não tenho medo de nada !
- grande maluco, e se alguém vai contar alguma coisa ?
- até encontrei o yxk à noite depois de jantar e jogar bowling, ele até estava com a mulher. Eu estava mesmo tranquilo...
- e se isso acaba mal ?
- estou numa fase em que não tenho medo de nadaaaaaaaaa.
- e as miúdas ?
- estão bem, estava mesmo agora a brincar com elas antes de atender telemóvel. :))




Eu comigo.

I Need my Freedom

I am a free man ― and I need my freedom. I need to be alone. I need to ponder my shame and my despair in seclusion; I need the sunshine and the paving stones of the streets without companions, without conversation, face to face with myself, with only the music of my heart for company. What do you want of me? When I have something to say, I put it in print. When I have something to give, I give it. Your prying curiosity turns my stomach! Your compliments humiliate me! Your tea poisons me! I owe nothing to any one. I would be responsible to God alone―if He existed!
Henry Miller

segunda-feira, 9 de março de 2015

Ganda malha este sóce !

Estava no local e na hora errada.
Sempre a rir, bem disposto e tudo na boa. Ficaram estas memórias e o sorriso continuo. Já passaram uns 10 anos, mas a memória dele eternizou. Era bom rapaz... :(((

sexta-feira, 6 de março de 2015

Luas

- Andas extremamente esquisita, tem alguma coisa com o calendário menstrual ?

- Não, tem com esses boiões que compraste para encher o corpo de músculo. Um dia és vegetariano com aquele resultado - no outro queres músculos. E todas essas decisões sem me perguntar opinião. Andas extremamente preocupado com imagem exterior - até depilação a lazer já fazes.

-Se eu não tiver cuidado com o meu corpo com esta idade, vou ter quando tiver 50 anos ? Antes de conhecer-te eu já tinha este corpo, considero que a nossa união não tem de repercutir-se a todos os assuntos. Existe o tu, o eu e o nós.

-Pois, mas tu chegas a casa e vais treinar, eu, chego a casa e vou tratar do jantar.

- Nem sempre, tomara muito homem partilhar as tarefas como eu partilho contigo em casa. Agora, uma coisa é certa, eu tenho que ter o meu espaço, quando quero e quando sinto necessidade - faz parte do meu ADN.

-Pois, e não fazes sempre isso quando vais à tua cidade sozinho e a outros pontos do país ver o teu clube ?

-E então ? Não ando a trabalhar a semana toda ? Tenho independência para tal. Quando me conheceste já sabias que sou um pássaro que gosta de voar para onde quero e quando quero.

- Não quero mais conversa. Quero dormir.

- Mas se não falarmos nestes momentos a dois, queres conversar em frente às nossas filhas ?

- Tenho sono, vou dormir.

-Ok...bons sonhos. 

quinta-feira, 5 de março de 2015

Violência doméstica no Séc.XXI ?!?



Não percebo nos dias de hoje, em que a mulher é um ser bastante iluminado, inteligente e  independente. Como é possível ceder às agressões verbais, físicas e chantagens emocionais ?!?


-Como é possível ? Explica-me que eu não consigo compreender...
- Também existem momentos bons e temos uma criança.
- Sinaliza essa situação a pessoas próximas de ti, isso não vai melhorar; com a idade só tem tendência a piorar. Resguarda-te e reporta essa situação a uma associação para esse efeito.

Frase do dia

"Todas as escolhas envolvem perdas..."

quarta-feira, 4 de março de 2015

terça-feira, 3 de março de 2015

Supplement to the tank



Porque só malhar e comer bem não chega.

Sou mesmo um dicotomias de vento.
Uns dias sou a favor do conteúdo, outros dias ando nas doutrinas da forma.
Pronto, assim vou mesclando e o resultado pode ser que seja "Mente sã em corpo são".

PS: O meu PT está habilitado a dar estas instruções.